compras

Os adoráveis conjuntos que vão salvar os casais indecisos no Dia dos Namorados

A Flores da Arrábida preparou packs para surpreender os apaixonados já que, além do artigo, o embrulho é especial.
Pode escolher o seu favorito.

Se pesquisar sobre a flora da Arrábida, certamente que vai encontrar vários nomes, de centenas de espécies diferentes, e todos científicos. Não é isso que queremos, principalmente no que toca a escolher um presente para oferecer no Dia dos Namorados. A nossa sugestão tem tanto de simples, como de bonita, e vem com um extra dedicado a esta celebração do amor.

A Flores da Arrábida é um projeto fundado, em 2017, por Telma Santos. A setubalense de 37 anos inspirou-se na beleza da serra, já que cria diferentes peças inspiradas nas flores e em toda a natureza da Arrábida, bem como os insetos e as frutas da época, com especial foco nos brincos e colares. Para o Dia dos Namorados, a empreendedora não definiu conjuntos específicos. Em vez disso, o cliente só tem de escolher o seu artigo e embrulho favoritos. 

“Acreditamos que quando oferecemos algo, os detalhes demonstram o quanto gostamos dessa pessoa, então daí o tema ‘Amor dentro da caixa’. Fizemos opções de diferentes valores para que este dia seja celebrado por todos de uma forma bonita. No nosso jardim regamos o amor para que floresça. Não definimos o acessório para permitir que a caixa seja personalizada, indo ao encontro do gosto de quem vai recebê-la”, explica Telma à NiS.

São cinco opções à escolha para oferecer de presente, com valores entre os 10,95€ e os 19,95€, excluindo o valor dos acessórios que comprar, que custam entre 10€ e 35€. Os acessórios são feitos com pasta moldada e pintada à mão, em bases de aço inoxidável. As caixas são enviadas à tabela e os valores incluem portes de envio CTT. No caso da entrega em mãos em Setúbal, será descontado esse valor.

Telma Santos é arquiteta de formação e, desde pequena, que viveu rodeada pela natureza. Cresceu numa zona de campo e foi nos passeios que fazia pela Arrábida que começou a reparar nas flores de vários tamanhos e cores. Nos tempos de infância, recorda-se de “fazer tiaras e colares com flores, sendo uma brincadeira que durava a tarde toda”. “Como não havia muitas atividades disponíveis na altura, era o que eu arranjava para poder passar o tempo”, conta.

Desde os 12 anos que se começou a interessar pelo mundo das artes plásticas e, por brincadeira, foi aprendendo a costurar, a moldar e a pintar. Ainda antes de seguir arquitetura, já fazia peças de artesanato para venda em pequenas feiras. Foi quando sentiu necessidade de criar peças únicas e exclusivas, que surgiu a ideia de lançar este tipo de joalharia muito ligada à natureza. É nos passeios pela Serra da Arrábida que vai buscar inspiração, confessando que já tem “uma coleção infindável de fotografias”.

Antes de começar uma nova coleção, vai sempre ver aquilo que está a crescer na época. Podem ser frutas, como amoras, ou até mesmo insetos como borboletas. Cada coleção é exclusiva e limitada e geralmente está relacionada com as estações do ano.

Rodeada de tantas flores, pode ser difícil escolher a sua favorita. Ainda assim, na opinião de Telma Santos, aquelas que mais se destacam são a papoila, pela cor, e a esteva, por ser um símbolo da nossa Serra da Arrábida. Para escolher o seu artigo favorito, visite o Instagram ou Facebook da marca, onde também pode fazer as encomendas.

Carregue na galeria para conhecer os conjuntos “Amor dentro da caixa”.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA