compras

Caju: a nova loja da Comporta junta o melhor que se faz em Portugal e no Brasil

Helena e Stela são as duas brasileiras naturais de São Paulo que se lançaram neste projeto.
As fundadoras, Helena e Stela.

No número 39 da Avenida 18 de Dezembro, no Carvalhal, há uma nova concept store que junta roupas, cosméticos e decoração de algumas das melhores marcas do Brasil e de Portugal. A Caju Comporta abriu esta segunda-feira, 29 de junho, com a curadoria de duas brasileiras que atravessaram o Atlântico para se instalarem no nosso País.

“A Stela já vinha muito para a Comporta e sempre gostou muito de estar aqui. Quando eu vim para cá há um ano e meio, ela falou-me da vontade de abrir uma loja”, explica à NiT Helena Lunardelli, de 47 anos. As amigas naturais de São Paulo têm percursos distintos: Stela Batochio, 43, é jornalista e mudou-se para Portugal há 3 anos. Helena, que chegou mais tarde, estudou arquitetura e fazia set design e decorações florais para a indústria da moda, cinema e televisão.

caju
Há uma grande atenção aos detalhes.

Agora, lançaram-se neste novo projeto que faz uma curadoria de marcas brasileiras e portuguesas, com uma vibe boémia, cool e chique muito característica da Comporta. Pelos 80 metros quadrados da loja, vai encontrar marcas completamente exclusivas em Portugal, como a Adriana Degreas, de beachwear, que está à venda um pouco por todo o mundo.

“Em Portugal só na Caju”, conta Helena. Vanda Jacintho é outro exemplo, mas a arquiteta destaca a Costa Brazil, uma marca de cosméticos biológicos brasileiros lançada por Francisco Costa, diretor criativo da Calein Klein durante vários anos.

AFC Woodboards, que vende pranchas em madeira detalhadas e feitas à mão e Latidid, de swimwear, são dois exemplos de marcas portuguesas que vai encontrar por lá.

No entanto, a Caju tem também uma parceria com Vasco Hipólito, sócio do restaurante Sal, que viaja pelo País e encontra móveis e peças de decoração que são colocadas à venda na loja. “Ele, como bom português, gosta de móveis”, comenta Helena.

Outro projeto presente na loja é a Flores da Comporta, um serviço de venda de flores, arranjos e set design que funciona todo o ano e é desenvolvido por Helena, usando todos os anos de experiência que conquistou nessa área.

Para já, o plano é manter o espaço até outubro, mas a ideia será abrir portas o ano todo em 2021. “Este ano, como é super atípico, a ideia até era abrir a loja em maio, mas tivemos de esperar. Quando percebemos que as medidas estavam a ser relaxadas, corremos para abrir e não perder o verão completamente”, desabafa Helena.

“Quando se entra na Caju, tudo está à venda”, explica. Sejam as plantas, os panos nas paredes, os sofás e cadeiras ou as peças de decoração, o difícil, brincam as sócias, é sair de lá de mãos vazias.

tags: Brasil, caju, carvalhal, comporta, decoracao, loja, Portugal, roupas

outros artigos de compras

mais histórias de Setúbal