comida

Se recebeu sementes pelo correio não as deite fora ou semeie

Um fenómeno idêntico aconteceu no final de julho nos Estados Unidos da América.
A origem é ainda não é conhecida.

A Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) deixou um conselho aos cidadãos portugueses, numa nota à imprensa, sobre um mistério qu surgiu nos últimos dias, dos estranhos pacotes de sementes. Várias pessoas receberam nas suas casas embalagens de sementes, em Portugal. Os responsáveis pela alimentação apontaram que esta situação está também a ser reportada em vários países da União Europeia e um pouco por todo o mundo.

“As embalagens não estão identificadas como contendo sementes e, para além das sementes de várias espécies vegetais, constatou-se que estas poderão ainda conter solo, larvas mortas ou, ainda, estruturas de fungos”, pode ler-se no aviso. Na prática, nenhuma das encomendas vem acompanhada de Certificado Fitosssanitário — o documento que atesta o cumprimento de exigências fitossanitárias. Ao não ter este certificado, há vários riscos do ponto de vista da sanidade vegetal, visto que podem espalhar pragas ou doenças.

As autoridades pedem a todas as pessoas que recebam embalagens de sementes não solicitadas, que não as semeiem ou coloquem no lixo. Devem ser entregues num serviço regional da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária ou numa Direção Regional de Agricultura e Pescas.

Se não for possível entregar em mãos, as sementes “devem ser enviadas, com a embalagem original, incluindo a etiqueta de expedição” para as autoridades responsáveis. Além disso, deve indicar na encomenda o seu contacto, caso seja preciso recolher esclarecimentos adicionais.

tags: DGAV, Portugal, sementes

outros artigos de comida

mais histórias de Setúbal