comida

Os Vizinhos abriram uma mercearia gourmet em Palmela — e ainda têm cabazes

Pode encontrar produtos locais e nacionais. O espaço abriu no dia 14 de junho na Avenida Joaquim Lino dos Reis.
A mercearia gourmet tem vários produtos nacionais.

Antes do surgimento das grandes cadeias de retalho, as famílias faziam as suas compras nas mercearias. Ainda existem aldeias que têm mercearias com vários anos de história e que contam com clientes habituais e fiéis. Contudo, atualmente, não é algo que se veja nas grandes cidades. Os anos passam, os tempos mudam e as tradições ou se mantêm ou se renovam.

Com um pé no passado e outro no presente, os amigos Gonçalo Rasteiro, 36 anos, e Luís Santos, 41, decidiram apostar no negócio das suas vidas: a mercearia gourmet Os Vizinhos, na Avenida Joaquim Lino dos Reis, em Palmela.

Os amigos, que se conheceram através das suas mulheres, já tinham criado um primeiro projeto durante a pandemia focado nas entregas ao domicílio de cabazes de fruta e legumes de produtores locais. “Na altura da pandemia ficámos desempregados e decidimos apostar neste projeto. Começámos com os cabazes através do serviço ao domicílio e, após uma grande luta, abrimos o estabelecimento físico”, contam à New in Setúbal.

A ideia inicial dos responsáveis sempre foi abrir a mercearia gourmet e, mais tarde, com o negócio a funcionar, introduzir os cabazes de fruta e legumes. Contudo, “com as voltas da vida acabou por ser ao contrário”, confessam. Durante a pandemia não quiseram arriscar num negócio com espaço físico porque as pessoas não podiam sair de casa. Por isso reinventaram-se e tiveram bastante sucesso.

Para criar o projeto dos cabazes, Gonçalo e Luís tiveram de encontrar produtores locais. “Andámos à procura deles. Víamos na Internet, íamos aos mercados de produtores e acabámos por estabelecer contactos”, revelam. Deslocavam-se ao mercado abastecedor de Setúbal, que acontece três vezes por semana, e conheceram vários produtores e vendedores que os ajudaram na procura.

Acabaram por encontrar vários produtores que fizeram crescer o negócio. Muitos deles já reformados, cujos produtos vêm das suas hortas ou terrenos. “Nunca mais nos esquecemos do primeiro produtor de tomates com quem estivemos. Fomos ter com ele, vimo-lo a pegar num balde e foi de bicicleta e deixámos de vê-lo. Já pensávamos que se tinha ido embora, mas depois voltou com o balde cheio de tomates acabados de apanhar”, contam.

A mercearia gourmet

Com o alívio das restrições da pandemia, as pessoas começaram a querer sair mais à rua e a visitar espaços físicos. Por isso, os cabazes acabaram por ser menos solicitados. Foi nesta altura que Gonçalo e Luís decidiram avançar com o grande sonho de abrir o próprio espaço. Assim nasceu a mercearia gourmet Os Vizinhos, aberta desde o dia 14 de junho, terça-feira.

Quando eram miúdos, os dois responsáveis lembram-se de frequentar as mercearias do bairro onde cresceram e raramente sabiam o nome das pessoas, então chamavam-nos de ‘vizinho’. “Quisemos criar esta proximidade com o cliente e a ideia não é sermos uma superfície comercial, mas sim um espaço familiar em que os clientes chegam e perguntam: ‘vizinho tem isto ou aquilo?’”, indica Gonçalo.

Além disso, o objetivo também é transmitir o conceito das mercearias antigas. “No passado íamos a estes sítios e os produtos ainda vinham com o cheiro da terra porque tinham sido colhidos há pouco tempo. Queremos transpor este conceito”, sublinha Luís. Desta forma, pode encontrar no espaço produtos nacionais gourmet, frutas e legumes de produtores nacionais, queijos e enchidos, e outros produtos que podem faltar na sua despensa, como iogurtes, cereais, sacos do lixo ou papel higiénico.

Os responsáveis Luís Santos e Gonçalo Rasteiro.

Os amigos não quiseram abandonar o projeto dos cabazes, pelo que, ainda os fazem e têm pedidos, embora não sejam na mesma quantidade que durante a pandemia. A diferença é que, como agora têm mais variedade de artigos através da loja, o cliente pode trocar algum produto por outro que prefira ou precise.

Todas as semanas há um cabaz pré-feito com frutas e legumes, na sua maioria da época, embora existem outros, como as bananas, que há o ano inteiro. A ideia destes cabazes é dar às pessoas a oportunidade de conhecer novos produtos. “Temos uma cliente que não conhecia a couve pak-choi e levou num dos cabazes. Agora, cada vez que há, pede-nos sempre porque adorou”, contam. O serviço de entregas está disponível na zona de Setúbal e concelhos vizinhos, como Barreiro, Moita, Palmela, Alcochete, entre outros. Pode fazer a encomenda através do número de telemóvel 926 233 775.

Os produtos gourmet à venda na mercearia têm todos o selo nacional. Os responsáveis não quiseram cingir-se à região mas antes dar visibilidade a outros artigos portugueses. “Encontrámos alguns destes produtos quando íamos de férias em conjunto. Provávamos algo que gostávamos e, quando começámos a criar o projeto, lembrávamo-nos dessas coisas e fomos procurando outras”, indicam.

Nas prateleiras da mercearia pode encontrar azeite e vinagre aromatizados, mel, chá, compotas, conservas, cervejas artesanais ou licores. Há também produtos da região, como alcagoitas, bolachas da feira e queijos. Os enchidos são de Serpa. “Quisemos ir buscar os produtos mais genuínos possíveis”, revelam.

Uma das paredes do espaço tem três prateleiras com produtos embalados, como feijão, grão, chá e até quinoa, mas a ideia é que estes sejam a granel. “Queremos ter os produtos em frascos e servir em saquinhos de papel, até porque tentamos evitar o plástico ao máximo”, indicam. Os amigos ambicionam ter mais (e diferentes) produtos a encher estas prateleiras, mas ainda estão à procura de fornecedores.

Além de produtos para consumir, Gonçalo e Luís também quiseram dar visibilidade ao artesanato. A marca Mwani está presente e tem artigos em pano, desde elásticos, porta-chaves, apara-pingos para as garrafas e até saquinhos para estas. Há ainda trabalhos em madeira, como tábuas e bases de copos da página Deixa a Casa em Paz e produtos como bombas de banho, sabonetes e champôs do site Árvore do Sabão.

Nas restantes prateleiras da loja estão produtos que pode encontrar em qualquer superfície comercial, como bolachas, papel higiénico, café e até carvão. Estes são o tipo de artigos que os clientes nem sempre têm na despensa e podem recorrer à mercearia para adquiri-los. “Somos sinceros: quem fez a lista destes produtos foram as nossas mulheres”, contam entre risos. “Nós estávamos ocupados a construir os móveis da fruta e dos legumes e o balcão”. Gonçalo e Luís quiseram mesmo dar o seu toque pessoal e torná-lo mais especial ainda.

O horário de funcionamento do espaço é das 8 às 21 horas de terça-feira a sexta-feira, das 9 às 19 horas ao sábado, e das 9 às 13 horas no domingo. Neste momento ainda estão a estudar os horários dos clientes. “Muitas das pessoas que vivem aqui trabalham em Lisboa. Portanto, só chegam a casa depois das 19 horas e só nessa altura é que vão fazer o jantar e dão conta do que pode faltar para a refeição”, rematam.

Quem manda nisto tudo?

Nome: Luís Santos/Gonçalo Rasteiro
Idade: 41/36
Prato favorito: Bacalhau à brás/Carne grelhada com arroz
Guilty pleasure: Queijo/Doces
Convença-nos a visitar o espaço: “Queremos trazer o que há de bom dos nossos produtores locais e nacionais, para dar a conhecer aos nossos vizinhos”.

De seguida, carregue na galeria para conhecer a mercearia gourmet Os Vizinhos.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Av. Joaquim Lino dos Reis 132 Loja 2, 2950-326 Palmela
    2950-326 Palmela
  • HORÁRIO
  • De terça a sexta das 8h às 21h
  • Sábado das 9h às 19h
  • Domingo das 9h às 13h
PREÇO MÉDIO
?

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA