comida

Há uma edição limitada do Moscatel de Setúbal para a estreia do “The King’s Man”

Só existem 500 garrafas do Moscatel Kingsman Century Edition 1919 e cada uma custa 1500€. 
É um moscatel com mais de 100 anos de envelhecimento.

A famosa produtora de vinhos José Maria da Fonseca estabeleceu uma colaboração com o realizador Matthew Vaughn. Para celebrar a estreia mundial do filme “The King’s Man: O Início” que acontece já nesta quarta-feira, dia 22 de dezembro, foi lançada uma edição limitada e rara de um Moscatel de Setúbal.

Trata-se do Moscatel Kingsman Century Edition 1919, um dos tesouros dos vinhos portugueses. É um moscatel com mais de 100 anos de envelhecimento em barricas de carvalho usadas na adega José Maria da Fonseca em Azeitão. Esta edição exclusiva é limitada a 500 garrafas e cada exemplar custa 1500€, podendo ser adquirido na loja de enoturismo da Casa Museu José Maria da Fonseca ou na loja online.

O Moscatel Kingsman Century Edition 1919.

Segundo António Maria Soares Franco, o administrador da prestigiada produtora, a colaboração neste filme é uma oportunidade única e “celebra a herança, o luxo e o fabrico artesanal que simbolizam a marca Kingsman”. Em “The King’s Man” a ação decorre antes da Primeira Guerra Mundial numa altura em que os moscatéis de Setúbal já enfeitavam as mesas das principais casas reais da Europa. 

O terceiro filme da saga Kingsman volta atrás no tempo para contar a história de origem da primeira agência de inteligência independente. Um homem precisa de correr contra o tempo para impedir os piores tiranos e mentores da história do crime de destruírem a humanidade. “The King’s Man: O Início” é dirigido por Matthew Vaughn e protagonizado por Ralph Fiennes, Gemma Arterton e Rhys Ifans. 

 

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA