comida

Gulato: os gelados artesanais da Comporta estão de volta

A marca estreou-se em 2019 com a venda dos vários sabores em triciclos. Este ano tem uma área ao ar livre junto à fábrica.
Agora há lugares na esplanada.

Os gelados da Gulato foram uma das grandes novidades da Comporta em 2019. Este ano voltam a ser protagonistas com a abertura de uma nova esplanada perfeita para os sunsets na zona com um copo ou um cone na mão. É junto à fábrica onde os vários sabores são produzidos que se encontra esta nova área ao ar livre.

A zona de produção fica na Aldeia do Possanco, a um quilómetro da Comporta. Daqui é possível ver o estuário do Sado e a Serra da Arrábida. Este espaço vai estar a servir gelados entre as 10h30 e as 20 horas.

Os gelados podem ser pedidos em cone ou em copo. Custam entre 2,50€ (um sabor) e 4,50€ (três sabores). Existem ainda as embalagens de take-away, com 780 ml. Custam, no mínimo, 13€, valor que pode variar consoante o sabor. Além do laboratório na Aldeia do Possanco, vai ainda encontrar os gelados num triciclo na vila da Comporta até ao final de agosto, aí até às 22 horas.

O outro triciclo que têm servirá para eventos privados ou outro tipo de iniciativas onde o podem levar. Nos sabores há novidades especiais para este ano. Tem, por exemplo, o gelado de natas, limão e alecrim.

Os sabores são artesanais.

Clássicos são o de caramelo salgado, o de noz pecan e caramelo, ou de nata, doce e leite, chocolate, fondant e bolacha,  a que chamam de Gulatíssimo, que é um dos mais pedidos. Há também versões sem glúten, sem açúcar ou laticínios. Na esplanada da fábrica, o Cantinho da Gulato, é ainda possível pedir batidos com gelado, cafés, smoothies de fruta e limonadas.

A Gulato é um projeto de Gonçalo Diniz e Pedro Machado. Em 2018 viajam de mota pela Europa durante três meses. O percurso começou em Inglaterra, passou pela Suíça, Alemanha, Estónia, Áustria, Montenegro e Croácia. Em Dubrovnik apanharam um ferry para Bari, rumo ao destino final em Itália: Bolonha.

A nova esplanada junto à fábrica.

Ficaram um mês em Itália, para aprenderem a fazer gelados artesanais, técnicas que viriam a pôr em prática em Portugal, na Comporta, na gelataria que abriram em 2019. Gonçalo Diniz e Pedro Machado viviam há mais de 15 anos em Londres. Gonçalo trabalhava na área da fotografia e Pedro em dança contemporânea.

tags: comporta, esplanada, fábrica, gelados artesanais, Gulato, verão

outros artigos de comida

mais histórias de Setúbal