comida

Este chef vai a sua casa cozinhar para si — e não precisa de se preocupar com nada

Muitas vezes, os anfitriões da festa não aproveitam o tempo com os convidados. É aqui que entra o chef Álvaro Santos.
Álvaro Santos, o chef em casa.

Todos nós gostamos de reunir os amigos ou a família em nossa casa, aproveitar uma bela refeição e pôr a conversa em dia. O problema é que na maior parte das vezes, os anfitriões da festa não aproveitam o tempo com os convidados. Ou porque estão a fazer a comida, a empratá-la ou levá-la para a mesa. Já imaginou como seria se não tivesse de se preocupar com toda essa logística? 

E a verdade é que não tem mesmo de se preocupar. O chef Álvaro Santos, de 54 anos, desenvolveu um projeto que vai revolucionar a sua vida na cozinha: o Chef em Casa. Muitas vezes temos a crença de que este tipo de serviços são para quem tem muito dinheiro, mas não é bem assim, até porque todos temos alturas especiais, nas quais queremos fazer coisas diferentes. E esta é uma excelente sugestão.

Além de estar no conforto da sua casa, outra das vantagens é que pode beber álcool sem preocupações, por exemplo. “Com o Chef em Casa não há aquela situação de ir para o restaurante beber um copo a mais e começar a questionar-se como regressa a casa. Portanto não existe esse problema, as pessoas já estão em casa”, começa por explicar o chef. 

O calendário do Chef em Casa está aberto todo o ano. Seja em que época for, do Natal à Passagem de Ano até aos feriados nacionais e municipais. O processo é simples. A primeira coisa a fazer é definir uma data para o chef verificar se há disponibilidade na agenda. A seguir deve indicar o número de pessoas, o plafond que pretende gastar, se há restrições alimentares ou alguma preferência.

A partir daí através do email byalvarosantos@nullgmail.com ou do contacto 967 784 672 é feito o acerto da ementa. Normalmente o chef faz uma sugestão, enviando, por norma, duas ideias e tudo é ajustado de acordo com o gosto do cliente. Depois de estar tudo definido é hora de pôr as mãos na massa. O chef vai até à casa do cliente, confeciona, serve o jantar e deixa a cozinha arrumada e limpa.

“Servimos a entrada, esperamos que a pessoa acabe de comer, levantamos os pratos da entrada, servimos o vinho, o segundo prato, que normalmente existe e depois a sobremesa. Só na parte em que ficam a saborear um digestivo é que começamos a arrumar tudo e vimos embora”, explica Álvaro Santos.

O preços dependem sempre dos pedidos dos clientes e da distância, claro. “Se for fazer um jantar para duas pessoas e tiver a mesma ementa, uma for em Azeitão e outra em Reguengos de Monsaraz obviamente que não é o mesmo preço.” No entanto, a partir de 50€ por pessoa, é possível ter o chef em casa.

Até agora, o feedback tem sido bastante positivo. “A ideia era só fazer este projeto durante o verão e depois reabrir o restaurante no inverno. Optei por fechar de vez o restaurante porque as solicitações continuam. Até já tenho marcações para o ano, incluindo o verão de 2023. Portanto tem sido muito bom. Há até pessoas que já repetiram a solicitação do serviço”, revela.

O serviço já chegou a vários locais do País, como é o caso de Lisboa, Cascais, Reguengos de Monsaraz, Comporta, Seixal, entre outros. Ainda assim, o Chef em Casa está aberto a Portugal inteiro. Paella e bochecha de porco são dos pratos com mais saída. Há quem peça comida italiana, francesa e até pratos tradicionais como a caldeirada ou especialidades asiáticas.

Apesar de ter nascido no Porto, Álvaro Santos vive na cidade do Sado há 52 anos. Começou como cozinheiro, como a maior parte dos colegas, em vários restaurantes de Setúbal e Lisboa. Depois passou a chef, na Pousada de Évora, como chef executivo. Foi inaugurar na Quinta do Lago, o Medusis Club. Esteve também nos Estados Unidos da América, como chef, durante um ano. Passou também por Inglaterra como chef executivo, durante seis meses, e esteve ainda um ano nas Caraíbas como chef executivo.

A ideia do Chef em Casa surgiu durante o confinamento. “Nessa altura as coisas não foram fáceis para ninguém. Lancei uma linha de hambúrgueres, que me pagaram as contas. Foi algo que achei que nunca ia fazer, porque não era chef executivo em hotéis e não ia estar a fazer hambúrgueres, mas a verdade é que foi isso que me pagou as contas nesse período”, sublinha.

Continuou a pensar na ideia do Chef em Casa e, em meados de março deste ano, amadureceu o conceito. “No verão comecei a dedicar-me exclusivamente a este projeto. Fechei o restaurante e atualmente dedico-me só a esta nova vertente. Uma das razões que me fez seguir este caminho foi o facto de conseguir ter mais tempo para a família, além de ser um negócio mais rentável, uma vez que não tenho tantas burocracias como acontece com os espaços físicos. Não tenho staff a quem tenha de pagar diariamente. Não estou à espera que o cliente entre na porta, porque tenho as coisas marcadas e ainda consigo seguir o meu estilo de cozinha”, remata.

De seguida carregue na galeria para ver alguns dos pratos confecionados por Álvaro Santos.

ver galeria

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA