comida

Barquilhos estão de volta (e vieram para ficar)

A Bolacha Portugueza trouxe de volta à Baixa o aroma a canela que já não se sentia há mais de 20 anos. Quem a prova garante que recua no tempo e até os miúdos já se renderam ao sabor.

O maior negócio da Bolacha Portugueza é a venda de barquilhos, uma bolacha parecida com a língua-da-sogra, normalmente com sabor a canela. Antigamente, as bolachas eram vendidas por barquilheiros sobretudo nas praias, através de uma espécie de jogo de sorte e azar. Miúdos e graúdos rodavam uma roleta e onde parasse a lingueta correspondia ao número de barquilhos que a pessoa levava para casa.

Em Setúbal, a responsável por trazer novamente a febre dos barquilhos à Baixa foi Filomena Vargas, apaixonada pela bolacha desde os sete anos. “Quando era miúda adorava barquilhos. Assim que via um barquilheiro corria atrás dele, porque a bolacha era vendida de uma forma muito engraçada, que atualmente a lei não permite”, conta à New in Setúbal.

Como tinha muita curiosidade em saber como se faziam os barquilhos, Filomena andou vinte anos à procura de um barquilheiro, que lhe pudesse desvendar a receita das bolachas, até que encontrou Idalécio, o último barquilheiro de Setúbal. Para a tradição não morrer, o vendedor de castanhas ensinou-lhe a receita e ofereceu-lhe uma prensa de ferro fundido para confecionar as bolachas.

Na altura, com trinta e poucos anos, Filomena prometeu que não deixaria o legado dos barquilhos morrer e assim aconteceu. “Há cerca de um ano, a minha vida deu uma volta de 180 graus, depois de 37 anos de carreira como professora de ensino artístico especializado na Academia Luísa Todi, em Setúbal, fiquei desempregada”, confessa à New in Setúbal. Sem ocupação, a professora formada em piano decidiu que tinha de se envolver num projeto completamente diferente da sua área e criou a marca da Bolacha Portugueza.

Como o nome indica, as rainhas são as bolachas, os ditos barquilhos, “um produto muito antigo, que só as pessoas com mais de 50 anos é que se recordam, daí a nossa preocupação em reavivar as memórias e a tradição”, explica a empresária. “Começámos só com a bolacha, mas dada a procura do público estrangeiro, temos muitos produtos regionais, como o doce de laranja, a casca de laranja com ou sem chocolate e o moscatel”.

De acordo com a professora de música, os estrangeiros apreciam muito a simplicidade do produto, à exceção das pessoas que não gostam de canela. “Temos tido clientes da Rússia, Japão Filipinas, Austrália Canadá, Arábia Saudita, Israel, Lituânia, que até montei um mapa-mundo onde vou apontando os países para onde vai uma caixa de bolacha”.

Por opção da proprietária, o nome “Bolacha Portugueza” mantém a grafia arcaica, o ‘z’ justamente para fazer lembrar às pessoas que não se trata de um produto de hoje.

Antigamente, as bolachas eram vendidas por barquilheiros sobretudo nas praias, através de uma espécie de jogo de sorte e azar

A loja em tons de cru e azul apresenta pormenores tipicamente portugueses, como o chão em mosaico hidráulico feito à mão em Estremoz e as bancadas, que recriam os estrados de praia, numa clara alusão aos tradicionais pontos de venda da época.

Os sabores dividem-se em original (açúcar e canela), moscatel, laranja, limão, coco, especiarias, sendo que depois foram introduzidas novas bolachas com chocolate, vinho do Porto, amêndoa e erva doce. Cada bolacha custa 1 euro e uma caixa personalizada (5€/6 unidades). Depois ainda existem os menus bolacha & café (1,5€), bolacha & shot (2€) e bolacha & chocolate (3,2€). No caso dos gelados, por mais 20 cêntimos, podem juntar-se ainda toppings, como nutella, chantilly, merengue, canela crocante, amêndoa amarga, côco e avelã.

Entre novembro e dezembro já foram fabricadas 11 mil bolachas. Além da loja de Setúbal, os barquilhos estão à venda na Mercearia Saloia, perto de São Bento, em Lisboa e na Comida Independente, entre Santos e Algés.

tags: Baixa, barquilhos, Bolacha Portugueza

localização, contactos e horários

morada
  • Bolacha Portugueza [ver mapa]
    Rua Doutor Paula Borba, 83
    2900-214 Setúbal
site e redes sociais
horários
  • Das : 10:00
  • Às : 19:00