comida

A Gulato regressou à Comporta com gelados artesanais e várias novidades

O espaço está de volta para mais uma temporada. O menu cresceu, há novos sabores e opções salgadas para aproveitar a esplanada.
Uma maravilha.

Tem apenas dois anos de existência, mas já se tornou num dos sítios obrigatórios a visitar na Comporta. Os gelados da Gulato começaram a ser servidos em triciclos em 2019. O ano passado a marca ganhou um espaço físico. Agora, com mais um ano, há mais novidades para conhecer. Existe uma nova carta com opções salgadas, novos sabores para pedir em copo ou em cone e até mais lugares ao livre.

É na Aldeia do Possanco, a um quilómetro da Comporta, que fica a zona de produção e o espaço onde pode aproveitar as várias sugestões da Gulato. Em 2020, o espaço reabriu com mais lugares na esplanada, uma floresta de bambu e uma mesa de madeira ideal para um grupo maior.

Antes de passarmos aos sabores de gelado, vale a pena dizer que este ano já os consegue pedir em taças cheias de toppings, mas também em waffles e crepes. Numa vertente salgada, existem nesta temporada crepes salgados: um deles junta uma bola de gelado de queijo roquefort.

São mais de 30 os sabores que têm disponíveis na Gulato, que vão rodando ao longo das semanas. Tem, por exemplo, o de amendoim, chocolate e caramelo; o de limão com manteiga de pistáchio; o de chocolate do Alentejo; o de caramelo salgado; o pistáchio e flor de sal; o de alecrim com mel e limão; ou o de mascarpone com mel, amêndoas caramelizadas e alperce seco.

Os gelados podem ser pedidos da forma mais tradicional, em cone e copo, nas tais novas taças, crepes e waffles, mas também em caixas de take-away. Os brownies da marca já estão disponíveis para levar em caixas de seis unidades.

A Gulato é um projeto de Gonçalo Diniz e Pedro Machado. Em 2018 viajaram de mota pela Europa durante três meses. O percurso começou em Inglaterra, passou pela Suíça, Alemanha, Estónia, Áustria, Montenegro e Croácia. Em Dubrovnik apanharam um ferry para Bari, rumo ao destino final em Itália: Bolonha.

Ficaram um mês em Itália, para aprenderem a fazer gelados artesanais, técnicas que viriam a pôr em prática em Portugal, na Comporta, na gelataria que abriram em 2019. Gonçalo Diniz e Pedro Machado viviam há mais de 15 anos em Londres. Gonçalo trabalhava na área da fotografia e Pedro em dança contemporânea.

A marca ganhou algum prestígio e já fornece alguns hotéis e restaurantes, tanto na zona onde fica a loja, como no Sonae Tróia, Sublime Comporta Hotel, mas também em Lisboa, como é o caso da PizzaGiram, em Santos, e da Madalenas, no Restelo. Para breve está a chegada dos vários sabores até à Quinta do Saloio, no Estoril.

Os gelados são artesanais.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA