comida

A água alcalina pode não ser a melhor opção

Há uma ideia generalizada de que é uma super água que ajuda a perder peso e desintoxica o organismo, mas não há provas científicas disso. 

Deve, sim, privilegiar o consumo de várias marcas de água.

Todos os dias nasce uma controvérsia no mundo saudável. Recentemente, a NiT falou de uma uma delas: o sal dos himalaias. É visto como uma opção com vários benefícios mas, na verdade, ele não é assim tão mais saudável. Desta vez, apesar de não ser uma discussão que começou hoje, fala-se da água alcalina.

Esta opção tem vindo a ganhar popularidade por causa dos seus supostos benefícios para a saúde. É comum ouvir-se dizer que ajuda na perda de peso, desintoxica e promove maior hidratação — sobretudo nos atletas. E a lista continua: retarda o envelhecimento, previne doenças como o cancro e a osteoporose, regula ph do corpo, etc. Mas será que esta água é realmente melhor?

Em primeiro lugar, é importante saber que a água alcalina é uma água cujo ph é superior a sete. A grande maioria das águas tem um ph ácido ou neutro. Como explica a nutricionista Bárbara de Almeida Araújo, o ph do nosso corpo varia entre 7,35 e 7,45 e possuímos mecanismos fisiológicos que o estabilizam em caso de desequilíbrio.

“Porém, de acordo com as várias investigações que foram surgindo ao longo dos últimos anos, aquilo que comemos ou bebemos não tem qualquer influência no ph sanguíneo, apesar de influenciar o ph da urina. Portanto, não é por bebermos água alcalina que o ph se irá manter nos níveis ideais”, diz à NiT.

Quanto aos restantes benefícios para a saúde, as evidências ainda são poucas, embora alguns estudos sugiram que a água alcalina é capaz de reduzir o refluxo gástrico, pode ter benefícios para quem tem diabetes e hipertensão arterial e, ainda, alterar a viscosidade do sangue — o que poderá melhorar a oxigenação das células.

Então, devemos privilegiar o consumo desta água ou não?

“Não há um consenso nem evidências científicas que comprovem o beneficio real do consumo deste tipo de água relativamente às restantes. A verdade é que o marketing e publicidade levam-nos muitas vezes a fazer escolhas que nem sempre podem ser as melhores e acabamos por comprar um produto, muitas vezes mais caro, pelas alegações que nos são ditas. No fundo, que nem sempre têm por base a ciência. E este é um desses casos”, alerta a autora do blogue “Manias de Uma Dietista“.

Para a especialista, os benefícios da água não se prendem com o tipo de água que se está a beber. O que interessa realmente é a quantidade diária de água que bebemos. A única preocupação deve ser garantir uma hidratação adequada do nosso corpo, consumindo 1,5 a dois litros por dia.

Outra coisa que deve tentar fazer é variar as marcas de água que compra, já que contêm concentrações diferentes de minerais, o que é benéfico para a saúde.

tags: água, água alcalina, Bárbara de Almeida Araújo, benefícios, manias de uma dietista, saúde

outros artigos de comida

mais histórias de Setúbal